segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Wodside leva Estado timorense a tribunal


A Procuradoria Geral da República deu provimento à queixa da companhia petrolífera australiana contra o Estado timorense, tendo já enviado o caso para o tribunal de Díli para ser julgado. A Wodside Energy Ltd contesta o resultado da auditoria realizada por uma equipa mandatada pelo governo timorense em que se detectou o incumprimento de pagamento de uma taxa de cerca de 3 biliões de dólares por esta empresa petrolífera. O governo já contratou um advogado, de Nova Iorque, para defender o Estado timorense neste julgamento.

O Ministério Público é defensor do Estado, é advogado da República. Neste processo é defensor de uma companhia petrolífera estrangeira contra o Estado, contra a República e contra o Povo de quem deve representar e defender os seus direitos legítimos contra a ganância de uma empresa petrolífera riquíssima à custa da exploração de recursos minerais de um país pobre saído de uma recente ocupação estrangeira.

Esta mesma empresa teve, há cerca de um ano, a ousadia de mover as suas influências junto de certos políticos timorenses, levando o então Presidente da República Ramos Horta convocar um Conselho de Estado com um único ponto de agenda de trabalho – e com a presença do presidente de Wodside no Conselho de Estado – discutir a vantagem de processar o gás de Greater Sunrise numa plataforma flutuante ou canalizá-lo para Darwin, em detrimento de o pipeline ser puxado para território timorense (a fim proporcionar um rápido desenvolvimento e crescimento económico do país com o nascimento de uma indústria petrolífera nacional). O Primeiro-ministro Xanana e o Presidente do Parlamento La Sama não compareceram à dita reunião, adivinhando a casca de banana lançada por Horta.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Dolce fare niente...

...descansar, praia se possível, uma boa bica e cerveja e jornal numa esplanada... e pôr as vacinas das crianças em dia. E tratar de uns papéis nas Finanças.

domingo, 15 de julho de 2012

Longuinhos Monteiro: "Tolerância zero para actos de violência política".

Eclodiu a violência em Viqueque, Venilale, Baucau e em vários bairros de Díli, com ataques  indiscriminadao a transeuntes e carros que circulam na rua, tendo verificado alguns feridos (de entre eles 4 polícias) e 58 viaturas danificadas, segundo o comandante geral da polícia, Longuinhos Monteiro, na sua intervenção na televisão.

Já se ouvem tiros de pistolas e armas automáticas. Os desordeiros são afectos ao partido Fretilin que foi excluído da coligação com o CNRT para formar o V Governo Constitucional.

Dada a gravidade da situação, algumas embaixadas estão a aconselhar os seus concidadãos para evitarem de sair esta noite de casa.

CNRT vai formar governo em coligação com PD e Frente Mudança

Aprovada por unanimidade e aclamação a opção B do cenário três: coligação CNRT/PD/Frente Mudança.

Em discussão o cenário de coligação CNRT/PD/Frente Mudança

Foram descartados dois cenários: i) CNRT para a oposição (uma vez que não tem a maioria absoluta); ii) A. Governo de unidade nacional; B. Governo de inclusão. Foi igualmente rejeitada por unanimidade uma das opções do cenário três: A. coligação CNRT/Fretilin. Pelas discussões que está a decorrer, neste momento, sobre este último cenário, indicam-nos que os conferencistas vão decidir pela opção B, do cenário três: coligação CNRT/PD/Frente Mudança.

sábado, 14 de julho de 2012

PD decide coligar-se com CNRT e Frente Mudança

O PD decidiu em conselho nacional (conferência nacional?), hoje, 14/07,  coligar-se com o CNRT e Frente Mudança para formar o V Governo constitucional, segundo informações a que tive acesso ao princípio de noite.

O CNRT reunir-se-á, amanhã, 15/07, a partir das dez horas, em conferência nacional para decidir com qual dos partidos se irá coligar  (se com a Fretilin ou PD), ou formar um governo minoritário.

A concretizar-se a coligação CNRT/PD/F Mudança o governo terá um suporte parlamentar de 40 deputados. Contudo, a distribuição dos cargos deve ser proporcional ao peso de cada partido. O PD tem apenas oito deputados, enquanto que o CNRT tem trinta. Assim, o PD deve ter sentido da realidade e não exigir para além do peso que é de oito assentos.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

E por que não um governo minoritário do CNRT?

Gostava de ver se Mari e La Sama teriam coragem de provocar eleições antecipadas?! É que a Fretilin e o PD juntos/coligados somam 33 deputados. Têm a maioria absoluta no PN. Até podem formar governo! Mas, seria um "governo de facto", segundo os juristas, os constitucionalistas da Fretilin (2007)!?

Eu aposto mais neste cenário: governo minoritário. 

sábado, 7 de julho de 2012

Resultados nacionais provisórios: CNRT continua com cinco pontos de avanço.

UDT: 1.00%
PDN: 1.83%
PSD: 2.05%
CNRT: 35.62%
Fretilin: 30.25%
Undertim: 1.72%

Fonte. TVTL, 23h.05


Resultados provisórios: Díli

CNRT: 49.39%
Fretilin: 30.01%

Fonte: TVTL, 22h.33

Resultados nacionais provisórios: CNRT - 35.31%; Fretilin - 29.75%.

UDT: 1.02%
PDN: 1.92%
CNRT: 35.31%
Fretilin: 29.75%
Frente Mudança: 3.97%

Fonte: TVTL, 22h.24

Resultados provisórios: Díli

CNRT: 50.47%
Fretilin: 28.56%
PD: 6.94%

Fonte: TVTL, 22h.13

Resultados nacionais provisórios: CNRT com cinco pontos de avanço

UDT: 1.01%
PDN: 1.97%
PD: 10.24%
PSD: 1.8%
CNRT: 35.68%
Fretilin: 30.07%

Fonte: TVTL, 22h.03

Resultados provisórios: Lautém

CNRT: 19.08%
Fretilin: 41.07%

Fonte: TVTL, 21h.43

Resultados provisórios: Díli

CNRT: 50.28%
Fretilin: 28.94%

Fonte: TVTL, 21h.52

Resultados provisórios: Covalima

CNRT: 23.61%
Fretilin: 35.92%

Fonte: TVTL, 21h.49

Resultados provisórios: Baucau

CNRT: 23.41%
Fretilin: 47.87%

Fonte: TVTL, 21h.43

Resultados nacionais provisórios

UDT: 0,96%
CNRT: 35.23%
Fretilin: 30.73%

Fonte: TVTL, 21h:43

Resultados provisórios: Liquiça

CNRT: 47.73%
Fretilin: 20.67%

Fonte: TVTL, 21h.35

Resultados provisórios: Baucau

CNRT: 20.74%
Fretilin: 49.69%

Fonte: TVTL, 21h.25

Resultados provisórios: Viqueque

Fretilin: 70.94%
CNRT: 11.81%

Fonte: TVTL, 21h.18

Resultados provisórios: Díli

CNRT: 49.74
Fretilin: 31.05%

Fonte: TVTL, 21h:09

Os primeiros resultados nacionais provisórios: CNRT em vantagem.

CNRT: 35.76%
Fretilin: 30.99%
PD: 9.80%
PSD: 1.64%
PDN: 2.15%
Frente Mudança: 3.19%
ASDT: 2.17%
UDT: 1.17%
Undertim: 1.21%
PST: 2.05

Fonte: TVTL, 20h:58

Eleições parlamentares timorenses

Assim que forem conhecidos os primeiros resultados provisórios da contagem dos votos, prometo publicá-los. Devem sair por volta das 20:00 horas (hora de Timor-Leste). O primeiro lugar é disputado entre o CNRT e Fretilin. O terceiro PD. O PSD poderá não conseguir os três porcento necessários. Quem está a recuperar terreno é a histórica UDT. Outra novidade pode vir a ser o partido KHUNTO, um partido essencialmente regional (Ainaro e Maliana). Assim como o PND (resultado da cisão do PSD) e a Frente Mudança (também resultante de uma cisão no seio da Fretilin).

sábado, 19 de maio de 2012

Posse do PR eleito Ruak

Vão ser dadas 21 salvas de tiro de canhão na tomada de posse do novo Presidente da República, Taur Matan Ruak. Na preparação e treino deste protocolo militar, os soldados timorenses são assessorados por uma equipa militar das Forças Armadas da Indonésia (TNI), que ofereceram também os canhões a serem utilizados nesta cerimónia.

Posse do PR eleito Ruak e os 10 anos da Restauração

Vão chegar ao aeroporto Nicolau Lobato, Díli, hoje, 19/05, ao meio-dia, dois chefes de Estado, o PR português Aníbal Cavaco Silva, e o PR indonésio, Susilo Bambang Yudiono, e três Governadores-gerais, o da Austrália, Nova Zelândia e Tuvalu, que irão assistir à tomada de posse do Presidente da República eleito, Taur Matan Ruak, logo à meia-noite, em Tacitolu (o mesmo local da Restauração da independência de há 10 anos). E no dia seguinte, domingo, 20/05, vão participar nas comemorações do décimo aniversário da Restauração da independência, no Palácio Presidencial, evento que será presidido pelo novo PR Ruak.

Fonte: TVTL

O adeus do PR Horta

6ª feira, 18/05, Palácio Presidencial, Díli

O Presidente da República cessante, José Manuel Ramos Horta, despediu-se do Governo, tendo estado presente neste evento todos os membros do Governo, desde o PM Xanana Gusmão aos restante ministros e secretários de Estado.

Neste mesmo dia, o PR Horta despediu-se igualmente dos funcionários do Palácio presidencial e dos seus assessores nacionais e internacionais.

Ainda, nesta hora de despedida, o ainda PR timorense condecorou com o Colar de Mérito o Presidente do Parlamento Nacional, Fernando La Sama Araújo, o Presidente do Tribunal de Recursos, Cláudio Ximenes (juiz desembargador luso-timorense, 4ª figura de Estado), a Procuradora-Geral da República, Ana Pessoa (ex-esposa do PR Ramos Horta, de quem tem um filho) e o partido Frente Revolucionária de Timor-Leste Independente (Fretilin), pela sua contribuição na luta da libertação nacional.

Fonte: TVTL

sábado, 12 de maio de 2012

Legislativas de 7 de Julho

Em 21 candidaturas (18 partidos e 3 coligações, no sorteio realizado, hoje, 12/05, pelo CNE, para as posições a ocupar por cada partido e coligação no boletim de voto das próximas legislativas de 7 de Julho) o CNRT ficou com o número 11, a Fretilin com o 12, ficando o primeiro da lista a UDT.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Um outro poema sobre o medo

Na primeira noite, eles se aproximam e roubam uma flor do nosso
jardim.
E não dizemos nada.

Na segunda noite, já não se escondem: pisam as flores e matam
o nosso cão,
e não dizemos nada.

Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho na nossa casa,
rouba-nos a luz, e, conhecendo o nosso medo, arranca-nos a voz da
garganta.
E já não podemos dizer nada.


Eduardo Alves da Costa (poeta brasileiro)
Há críticos que atribuem a autoria deste poema ao poeta russo Maiakovski.

Um poema sobre o medo

Um dia, vieram e levaram o meu vizinho que era judeu.
Como não sou judeu, não me incomodei.

No outro dia, vieram e levaram o meu outro vizinho
que era comunista.
Como não sou comunista, não me incomodei.

No terceiro dia, vieram e levaram o meu vizinho católico.
Como não sou católico, não me incomodei.

No outro dia, vieram e me levaram;
já não havia mais ninguém para reclamar...

Martin Niemöler

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Presidenciais 2012 - 2ª volta (17)

Resultados nacionais provisórios do STAE, através da televisão pública (RTTL), 00h02:
  1. Lu Olo: 39.79% (155.518 votos)
  2. Ruak: 60.21% (235.299 votos)

Presidenciais 2012 - 2ª volta (16)

Resultados oficiais provisórios do STAE, através da televisão pública (RTTL), 23h55:

Díli: Lu Olo 33.54% (22.111 votos); Ruak 66.46% (43.823 votos)

Presidenciais 2012 - 2ª volta (15)

Resultados nacionais provisórios do STAE, através da televisão pública (RTTL), 23h50:
  1. Lu Olo: 39.94% (154.175 votos)
  2. Ruak: 60.06% (231.806 votos)

Presidenciais 2012 - 2ª volta (14)

Resultados nacionais provisórios do STAE, através da televisão pública (RTTL), 23h35 :
  1. Lu Olo: 39.96% (147.697 votos)
  2. Ruak: 60.04% (221.956 (votos)

Presidenciais 2012 - 2ª volta (13)

Resultados nacionais provisórios do STAE, através da televisão pública (RTTL), 23h20:
  1. Lu Olo: 39.67% (140.273 votos)
  2. Ruak: 60.33% (213.317 votos)

Presidenciais 2012 - 2ª volta (12)

Resultados oficiais provisórios do STAE, através da televisão pública (RTTL), 23h15 :

Díli: Lu Olo 33.24% (17.625 votos); Ruak 66.76% (35.405 votos)

Presidenciais 2012 - 2ª volta (11)

Resultados nacionais provisórios do STAE, através da televisão pública (RTTL), 23h 06:
  1. Lu Olo: 39.92% (135.085 votos)
  2. Ruak: 60.08% (203.290 votos)

Presidenciais 2012 - 2ª volta (10)

Resultados oficiais provisórios do STAE, através da televisão pública (RTTL), 22h56 :

Díli: Lu Olo 33.54% (16.348 votos); Ruak 66.46% (32.388 votos)
Ermera: Lu Olo 34.44% (13.814); Ruak 65.56% (26.293 votos)

Presidenciais 2012 - 2ª volta (9)

Resultados nacionais provisórios do STAE, através da televisão pública (RTTL), 22h 52:
  1. Lu Olo: 40.09% (127.183 votos)
  2. Ruak: 59.91% (190.061 votos)

Presidenciais 2012 - 2ª volta (8)

Resultados nacionais provisórios do STAE, através da televisão pública RTTL, 22h25:

Lu Olo: 40.00% (114.083 votos)
Ruak: 60.00% (171.114 votos)

Presidenciais 2012 - 2ª volta (7)

Resultados oficiais provisórios do STAE, através da televisão pública (RTTL), 22h15:

Díli: Lu Olo 33.73% (12.497 votos) ; Ruak 66.27% (24.554 votos).
Ermera: Lu Olo 35.62% (12.079 votos); Ruak 64.38% (21.836 votos)

Presidenciais 2012 - 2ª volta (6)

Resultados nacionais provisórios do STAE, através da televisão pública (RTTL), 22h10 :
  1. Lu Olo: 39.82% (107.099 votos)
  2. Ruak: 60.18% (161.839 votos)

Presidenciais 2012 - 2ª volta (5)

Resultados oficiais provisórios do STAE, através da televisão pública (RTTL), 21h43:

Díli: Lu Olo 33.62% (10.726 votos); Ruak 66.38% (21.179 votos)

Presidenciais 2012 - 2ª volta (4)

Resultados nacionais provisórios do STAE, através da televisão pública (RTTL), 21h42 :
  1. Francisco Guterres Lu Olo: 38:50%
  2. Taur Matan Ruak: 61.50%

Presidenciais 2012 - 2ª volta (3)

Dados oficiais provisórios do STAE, através da televisão pública (RTTL), 21h15:
Aileu: Lu Olo 29.24%; Ruak 70.76%
Ainaro: Lu Olo 33.08%; Ruak 66.92%
Baucau: Lu Olo 50.84%; Ruak 49.16%
Bobonaro: Lu Olo 30.58%; Ruak 69.42%
Covalima: Lu Olo 39.12%; Ruak 60.88%
Díli: Lu Olo 33.03%; Ruak 66.97%
Ermera: Lu Olo 36.40%; Ruak 63.60%
Lautém: Lu Olo 48.66%; Ruak 51.34%
Liquiçá: Lu Olo 34.95%; Ruak 65.05%
Manatuto: Lu Olo 25.95%; Ruak 74.05%
Manufahi: Lu Olo 47.59&; Ruak 52.41%
Oecusse: Lu Olo 25.62%; Ruak 74.38%
Viqueque: Lu Olo 75.39%; Ruak 24.61%

Presidenciais 2012 - 2ª volta (2)

Dados oficiais provisórios do STAE, através da televisão pública (RTTL), 20h50:
  • Francisco Guterres Lu Olo: 38.12% ( 67.879 votos)
  • Taur Matan Ruak: 61.88% (110.177 votos)

Presidenciais 2012 - 2ª volta

Até às 18:30h, segundo dados não oficiais, Taur Matan Ruak obteve 73.274 votos e Francisco Guterres Lu Olo 37.323, num universo de 110.597 votos válidos. Traduzindo em percentagem: Ruak 66.25% e Lu Olo 33.75%.

Taur Matan Ruak é o novo Presidente da RDTL

Ruak ganhou - de acordo com a contagem até 18:45 h (hora de TL) - em sete distritos. Podendo vir a ganhar em mais três ou quatro. De acordo com os dados dos fiscais da candidatura de Ruak, até 18:30h, Lu Olo está em 2º lugar com cerca de 33% de votos.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Presidenciais 2012: 2ª volta (4)

«Comandei Lu Olo, no mato [na Resistência Armada], continuo a comandá-lo, agora», disse Ruak no comício realizado em Iliomar, na passada 3ª feira, 3/04.

O general Taur Matan Ruak fez esta afirmação em resposta a várias provocações vindas da candidatura presidencial de Lu Olo - ataques a caravana de Ruak, em Baucau (3/04), agressões físicas a apoiantes da candidatura de Ruak, em Uatulari (11/03, ainda na 1ª volta), destruição e incêndio de casa e propriedade da D. Luciana Bikasa - membro da Equipa de Vitória, em Viqueque-Vila (25, 26 e 27/03), incêndio a habitação do coordenador da campanha de Ruak em Dilor, Lacluta (31/03), destruição de propaganda eleitoral e também ataques pessoais ao general Ruak, acusando-o de intimidar os votantes por envergar camuflado na foto da campanha eleitoral e mais outras acusações.

É um facto que o candidato presidencial da Fretilin, Francisco Guterres Lu Olo, nunca se destacou nas Falintil nos 24 anos da Resistência Armada. Nunca comandou nenhuma das quatro Regiões Militares (nem a RM 1, nem a 2, nem a 3, nem a 4); nem nunca chegou também à chefia do Estado Maior. Se o general Ruak teve que puxar pelos seus galões, foi porque as constantes provocações vindas da candidatura do seu oponente nesta campanha presidencial estava ultrapassar os limites admissíveis. Os antigos guerrilheiros das Falintil têm (e sempre tiveram) um pacto entre si: nunca se atacarem, em nenhuma circunstância, seja política ou outra; e nunca concorrerem entre si para um mesmo cargo. Nas Presidenciais de 2012 alguém quebrou este pacto: não foi de certeza o comandante Taur Matan Ruak.

sábado, 31 de março de 2012

Presidenciais 2012: 2ª volta (3)

Tendo em conta o novo alinhamento político com a decisão de Ramos Horta e Fernando La Sama não condicionarem o voto dos seus simpatizantes e militantes na 2ª volta das presidenciais, dando-lhes "liberdade de voto" a fim de votarem de acordo com a sua consciência, e tendo também em conta o perfil sociológico (quiçá étnico) dos seus votantes podemos prever a seguinte migração de votos para Ruak: i) cerca de 55 mil dos 81 231 votantes de Ramos Horta; ii) cerca de 73 mil dos 80 381 dos votos de La Sama.

sexta-feira, 23 de março de 2012

Presidenciais 2012: Poder pelo poder... (3)

...nem que tenha que vender a alma ao diabo.

Aguardemos pelos resultados das conversações que estão a decorrer neste momento entre La Sama/PD (com Horta à pendura) e Fretilin para "cedência" dos cerca de 80 mil votos conseguidos pelo La Sama (mais os 80 mil de Ramos Horta) na 1ª volta das presidenciais. O PD e La Sama apresentaram como contrapartida um preço muito alto:

Plano A: PM não Fretilin, 4 ministérios e 8 secretarias de Estado;
Plano B: PM Horta, PN La Sama, ficando Alkatiri com o Ministério do Petróleo.

A concretizar um dos 'planos', isto implica uma coligação Fretilin/PD (mais Horta à pendura) nas próximas eleições de Junho. Isto implica também que o candidato presidencial Lu Olo tem de ganhar a 2ª volta das presidenciais. E se o vencedor for Ruak? Mantém-se o compromisso acordado com o PD ou a Fretilin rói a corda?!

E se concretizar esta coligação Fretilin/PD, a Fretilin ficará tão vulnerável aos ataques dos outros partidos concorrentes às legislativas de Junho uma vez que estariam a acolher no seio da coligação políticos do PD tão criticados pela própria Fretilin como suspeitos de corrupção no exercício das suas funções governativas. E esta camarada?!

quarta-feira, 21 de março de 2012

Presidenciais 2012: Poder pelo poder... (2)

...nem que tenha que vender a alma ao diabo.

A Presidência da República emitiu um comunicado de imprensa, dia 20/03, desmentindo afirmações imputadas a Ramos Horta - publicadas na imprensa - em que este teria decidido "recusa de votos ao candidato presidencial Francisco Guterres Lu Olo (FRETILIN)" na 2ª volta.

Se Ramos Horta sentiu a imperiosa necessidade de desmentir as notícias sobre a sua "recusa de votos" a Lu Olo - conhecendo como conheço Horta ao longo de vários anos - é o mesmo que dar indicação de voto aos seus votantes na 1ª volta das presidenciais para votarem em Lu Olo (FRETILIN) na 2ª volta. Se analisarmos com cuidado o texto do comunicado de imprensa, verificamos que vem citado "Francisco Guterres Lu Olo (FRETILIN)", não apenas Lu Olo, mas também o partido Fretilin. Isto é, os seus 80 mil votos são endereçados também para o seu antigo (possivelmente 'futuro') partido Fretilin para as próximas legislativas de Junho.

Contudo, numa notícia da Lusa, dia 21/03, hoje difundida, Horta afirma que "vai colaborar nas legislativas com o Partido Democrático", acrescentando que os dois juntos tinham reunido, na 1ª volta das presidenciais, 35 porcento de votos. Se repararmos bem, Horta nestes últimos dias nas suas declarações fala sempre em "nós", ele Horta e La Sama - que trata com deferência "presidente La Sama" - "o nosso sentido de voto", "o presidente La Sama e eu próprio", "nosso apoio". É o preço do cargo de Primeiro-ministro para Horta que La Sama e o seu partido PD estão a negociar com a Fretilin para conceder a Lu Olo, na 2ª volta das presidenciais, os seus cerca de 80 mil votos da 1ª volta.

Horta é um contorcionista exímio.

Mas, se Horta e La Sama pensarem que os votos conseguidos na 1ª volta são transferíveis todos para Lu Olo na 2ª volta das presidenciais, enganam-se redondamente. Os cerca de 160 mil votos não são todos transportáveis para Lu Olo: pois estes votos são essencialmente dos distritos de Oeste. Ora os votantes de Oeste votam com menos dificuldade em Ruak do que em Lu Olo: as motivações são bem óbvias.

Passemos às contas de mercearia (apenas em percentagem, pois os resultados definitivos só saem na próxima 6ª feira): dos 35%, numa estimativa mais optimista, só 20% pode ser transferido para Lu Olo; somando 29% de Lu Olo com 20% de Horta e La Sama dá um total de 49%; logo não perfaz o total 50 mais 1 para ganhar as presidenciais.

terça-feira, 20 de março de 2012

Presidenciais 2012: Poder pelo poder...

... nem que tenha que vender a alma ao diabo.

É o que previsivelmente irá suceder: apoio de La Sama a Lu Olo na 2ª volta das presidenciais. Em troca, coligação nas eleições legislativas de Junho próximo para formar governo Fretilin/PD.

O cenário pode vir a ser o seguinte: La Sama - Presidente do Parlamento, Ramos Horta - Primeiro-ministro, Mari Alkatiri - Ministro do Petróleo.

A ver vamos...

Presidenciais 2012: 2ª volta (2)

A base de licitação dos cerca de 80 mil votos de La Sama conseguidos na 1ª volta das Presidenciais 2012, de 17 de Março passado, é 8 secretarias de Estado, 4 ministérios e o cargo de PM para o presidente do PD. Consta que a Fretilin está inclinada para ceder ao PD as secretarias de Estado e os ministérios em troca dos votos de La Sama para Lu Olo na 2ª volta, mas não abre mão do cargo de PM. Está até disposta a aumentar o número de secretarias de Estado e dos ministérios para garantir a transferência dos cerca de 80 mil votos de La Sama.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Presidenciais 2012: 2ª volta

La Sama ainda não decidiu em quem votar na 2ª volta destas presidenciais disputada entra Ruak e Lu Olo - dois antigos guerrilheiros da Resistência Armada. No entanto, podemos - através de uma notícia da Lusa (19/03) - perceber que La Sama pretende leiloar o seu voto: quem dá mais leva os seus 80 000 votos da 1ª volta. Isto é, La Sama quer assegurar assento para o seu partido no próximo governo saído das próximas eleições legislativas de Junho. Explicando melhor: La Sama deseja uma coligação - ou com a Fretilin ou com o CNRT - para formar o próximo governo. Uma coligação pós-eleitoral. Porque o PD - para aferir o seu peso eleitoral - irá concorrer sozinho nas próximas legislativas.

Segundo a Lusa, João Boavida afirmou que "o Partido Democrático (PD) tem uma posição chave" na 2ª volta destas presidenciais, e que "qualquer que seja a decisão tem de ser tido em conta os benefícios políticos para o partido". Para bom entendedor....

domingo, 18 de março de 2012

Presidenciais 2012: resultados oficiais provisórios (6)

Lu Olo: 123 751 (28.38%)
Ruak: 109 338 (25.07%)
Ramos Horta: 78 423 (17.98%)
La Sama: 77 447 (17.76%)
Rogério Lobato: 15 716 (3.60%)
José Luís Guterres: 8 330 (1.96%)
Abílio Araújo: 5 880 (1.35%)

Fonte: STAE (21:00)

A grande surpresa nestas eleições são os resultados obtidos pelo actual presidente da República, José Manuel Ramos Horta: uns expressivos 78 423 votos, o que lhe dá o terceiro lugar. Apanhou-me de surpresa estes resultados de Horta. O meu prognóstico era que o actual PR ficasse abaixo em número de votantes de La Sama. Enganei-me. Por isso, é um factor a ter conta na segunda volta: em quem é que Horta irá apelar o seu voto! Por despeito - e táctica para assegurar o seu futuro político - Horta aconselhará os seus votantes da primeira volta para depositarem o seu voto no candidato da Fretilin, Lu Olo.

La Sama pode, na segunda volta, não aconselhar os seus naturais votantes (cerca de 80 000) a votarem em Ruak, como uma das estratégias para prejudicar Xanana e CNRT nas eleições legislativas de Junho, por CNRT não apoiar à sua candidatura e não deixar os seus militantes a votarem de acordo com a sua consciência. La Sama vai ser o fiel da balança da disputa eleitoral entre Ruak e Lu Olo.

Outra grande surpresa, para mim, nestas presidenciais é o resultado obtido por Rogério Lobato: 15 716 (3.60%).

Mas, a surpresa maior é a fuga de mais de metade dos 250 000 votantes que alguns dirigentes da Fretilin diziam que constavam na sua base de dados e que - a ser verdade - deveriam votar, a 17 de Março, em Lu Olo. E, no entanto, desapareceram como que por magia, pois Lu Olo, segundo os dados de STAE, tem - nesta altura da contagem - 123 751 (28.38%) votos.

Presidenciais 2012: resultados provisórios (5)

Current Voting count (19.00 hrs) 18/03/12

Resultados provisórios: 19:00 (hora de TL)
Fonte: www.tmr2012.org

Presidenciais 2012: resultados provisórios (4)

Current Election Count (14.30)

Resultados provisórios: 14:30 (hora de TL)
Fonte: www.tmr2012.org

Analisando os dados disponíveis relativos aos resultados provisórios divulgados (STAE, blogues de apoiantes de Lu Olo e o site da candidatura de Ruak), apontam para uma segunda volta nestas presidenciais. A haver uma segunda volta, será entre Ruak e Lu Olo. Para mim, será a segunda volta ideal. A ser este o cenário, Ruak vence. Ponto final.

Presidenciais 2012: resultados provisórios (3)

O Director da STAE, Tomás Cabral, veio a TVTL anunciar (cerca das 12:30 hora de TL) os resultados dos 328 946 votos apurados. De acordo esses dados chamados oficiais, Lu Olo está em primeiro lugar com 24,23% (90 858 votos), Ruak segundo com 27,62% (79 720 votos) e Horta em terceiro com 19,13% (62 922 votos). No entanto, a candidatura do Ruak tem recolhido dados, no terreno, em todas as estações de voto em todo o território nacional e fez o seguinte apuramento (12:00):


sábado, 17 de março de 2012

Presidenciais 2012: resultados provisórios (2)


Resultados provisórios: 01:30 (hora de TL)
Fonte: www.tmr2012.org

Embora a TVTL posicionasse Ramos Horta em 1º (23:00, 17/03) e os nossos amigos de outra banda dão Lu Olo como o primeiro, veremos quem tem os dados correctos.

Presidenciais 2012: resultados provisórios

Resultados provisórios: 00:00h
Fonte: www.tmr2012.org

domingo, 11 de março de 2012

O próximo Presidente da RDTL: General Ruak

Visão e prioridades -Taur Matan Ruak A candidatura de Ruak está a ganhar - nestes últimos dias de campanha - uma dinâmica imparável para a vitória logo na primeira volta das presidenciais. Tomando como barómetro Baucau para os três distritos da região (l)Este, o comício de Ruak realizado em Baucau, 6ª feira, 9/o3, superou todas as melhores expectativas com o triplo de enchente comparativamente com a adesão ao comício do candidato da Fretilin, Lu Olo (antigo subordinado do General Ruak na Resistência Armada). Ontem, antes do início comício de Díli, apesar de chuva torrencial a partir de meio-dia até ao final da tarde, a caravana de apoiantes da candidatura deu uma volta à cidade com centenas de viaturas, entre carros e camionetas de caixa aberta e umas centenas de motas, antes de se reunirem no Campo da Democracia para ouvirem o discurso de Ruak e assistirem a chegada inesperada ao comício de Xanana (antigo superior hierárquico de Ruak na Resistência Armada). Apesar da chuva torrencial, registaram milhares de apoiantes neste comício - e se não fosse a chuva quase ininterrupta a adesão seria o dobro.

A candidatura de Ruak está a sofrer uma censura dissimulada na televisão pública, a TVTL, com deficiente cobertura (no tempo de antena, no modo da focagem da câmara e tardia divulgação de imagens de comícios mais significativos - o de Baucau nem foi ao ar no telejornal de ontem, 10/03).

Outro facto, que convém denunciar - e que tem a ver com todas as candidaturas - é nestas eleições o STAE e a CNE-Comissão Nacional das Eleições lançarem confusão entre os eleitores afirmando nos meios de comunicação social que não basta ser detentor do Cartão Eleitoral para se poder exercer o seu direito de cidadão, mas cumulativamente deve apor até ao dia 9/03 no respectivo Cartão Eleitoral pelo Chefe de Suco ou de Aldeia um autocolante com o número que consta da lista de eleitor do respectivo Suco, obrigando a todos a se deslocarem ao seu Suco para o efeito. Ora, alguns eleitores por afazeres profissionais não o podem fazer, apenas dispõem de um dia, 17 de Março, sábado, para se poderem deslocar-se ao seu Suco para votarem: aí, segundo as orientações ilegais e mais grave ainda inconstitucionais do STAE e CNE, serão impedidos pela mesa de exercerem o seu direito de voto. Isto é um absurdo. O Tribunal de Recurso deve pronunciar-se, já, sem mais demora, sobre estas orientações ilegais e inconstitucionais do STAE e CNE.

terça-feira, 6 de março de 2012

Faleceu Francisco Xavier do Amaral

Faleceu hoje, 6/3, cerca das 8:30 horas, no Hospital Nacional Guido Valadares, vítima de cancro dos intestinos, Francisco Xavier do Amaral, candidato ao cargo de Presidente da República nestas eleições presidenciais 2012.

Xavier do Amaral proclamou a independência unilateral - a 28 de Novembro de 1975 - da República Democrática de Timor-Leste, e se tornou também o seu primeiro Presidente da República. Apesar de a Fretilin, na Assembleia Constituinte de 2001-2002, reconhecer e inscrever na Constituição da RDTL que a data da proclamação da independência do país é a 28 de Novembro de 1975, não reconheceu - de forma absurda, negando um facto histórico - o proclamador como sendo o primeiro Presidente da República da RDTL, só o fazendo no final da legislatura de 2002-2007, usufruindo Xavier a partir daí todas as honrarias de ex-titular PR.

O funeral realizar-se-á dia 8/03, 5ª feira, com honras de Estado, no Panteão Nacional, Metinaro. O governo decretou três dias de luto nacional, a partir de amanhã, com bandeira à meia haste em todas as instituições do Estado.

segunda-feira, 5 de março de 2012

O calendário escolar timorense

Com a alteração do início do ano lectivo de Setembro para o mês de Janeiro, decisão do actual ministro da educação, João Câncio Freitas, em 2009, criou-se um problema para o ingresso dos alunos no ensino superior nas universidades portuguesas e indonésias: o timing. Concluídos os exames do 12º ano em fins de Novembro, esses estudantes terão que aguardar quase um ano para se poder ingressas nas referidas universidades, pois tanto Portugal como a Indonésia o início do ano lectivo é em Setembro. Já começa a haver contestação de alguns pais relativa a esta decisão do ministro Câncio, pois fez coincidir o calendário escolar timorense com o da Austrália, embora praticamente zero o número de estudantes que se candidatam a uma universidade australiana. Por isso, é necessário repor o anterior calendário – de Setembro a Junho – nas escolas timorenses. É uma questão de bom senso, uma vez detectado erro.

quinta-feira, 1 de março de 2012

Morte de Francisco Xavier do Amaral: será boato?

O candidato presidencial Xavier do Amaral terá falecido esta manhã, 1 de Março, no Hospital Nacional Guido Valadares, Díli, de acordo com uma fonte próxima. Espero que seja apenas um rumor...

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Usucapião especial: eis o busílis da questão!

O Estado deve ser uma pessoa de bem; o Estado deve agir com boa fé nas suas relações com os cidadãos; o Estado nunca deve agir como um salteador. Tudo isto a propósito da aprovação da Lei de Terras e Propriedades, ontem, pelo Parlamento Nacional, em que no capítulo "Usucapião Especial" vem legitimar e legalizar as ocupações de terrenos e outros bens imóveis, cujos legítimos proprietários os vem reclamando desde sempre. Os argumentos utilizados pelos legisladores são os mesmos de Ali Alatas relativamente a pretensa legitimidade da Indonésia em invadir e ocupar Timor-Leste: "estão em Timor há já bastantes anos; gastaram muito dinheiro em desenvolver o território, construindo pontes e edifícios públicos, alcatroando estradas, abrindo escolas e hospitais, educando a população", etc., etc...; e mais outras lenga-lengas. E os nossos brilhantes e iluminados deputados justificaram a sua decisão, argumentando que "os ocupantes estão há muito tempo a viver nessas propriedades; que já gastaram muito dinheiro na construção ou arranjo das habitações; que já plantaram pomares nos ditos terrenos," etc., etc.; e mais outras histórias de carochina. Tudo isto porque consta que os ditos têm interesses pessoais ou de familiares ou amigos envolvidos, e pretendem, com esta Lei, legitimar a roubalheira.

Não, senhores deputados. O Estado deve devolver aos seus legítimos proprietários os terrenos e outros bens imóveis ocupados, seja resultado da invasão indonésia em Dezembro de 1975, seja, consequência da retirada dos soldados indonésios em Setembro de 1999. Senhores deputados: o Estado deve praticar a justiça e não usurpar ou ajudar a usurpar terrenos alheios!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Horta apresentou a sua candidatura às presidenciais de Março 2012

Horta, como preliminares ao anúncio da sua recandidatura ao cargo de PR, visitou ontem o Hospital principal da capital Díli, tendo aproveitado a ocasião para realizar um exame geral à sua saúde e no fim do qual aconselhou os restantes candidatos às eleições presidenciais a procederem do mesmo modo porque, segundo o actual PR, o cargo presidencial é de desgaste tremendo tanto físico como psicológico; visitou igualmente o estabelecimento prisional de Becora para se inteirar das condições em que se encontram os prisioneiros e para se inteirar também das condições de trabalho dos guardas prisionais; finalmente, já muito perto do tão esperado momento do anúncio oficial da sua recandidatura a um segundo mandato presidencial, foi recolher-se em oração na Igreja de Motael para se aconselhar, em última instância, junto do Divino, junto do Deus Todo o Poderoso sobre a justeza da sua eminente decisão: candidatar-se ao cargo de Presidente da República, apesar de ter perdido todos apoios que usufruiu nas últimas presidenciais de 2007 que o levou à vitória, na segunda volta, sobre Lu-Olo. Declarou, na ocasião, Horta que não irá fazer nenhuma campanha eleitoral pelo país, porque já é sobejamente conhecido pelo povo em quarenta anos de vida pública que leva como PR, PM, MNE e diplomata sénior nas lides diplomáticas durante a ocupação indonésia.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Língua materna como língua de instrução: estupidez e teimosia do ME timorense

O melhor caminho para desenvolver as línguas maternas timorenses - vulgo línguas nacionais - é constituir equipas de estudiosos falantes nativos de cada uma das línguas (com a ajuda e colaboração de linguistas) para as estudar, analisar e estruturar a sua morfologia e sintaxe, e posterior aprovação da sua norma ortográfica pelo Parlamento Nacional a fim de haver uniformização no seu uso e ensino, evitando que uma mesma palavra tenha três ou quatro grafias diferentes.

A política educativa deve estar integrada na estratégia de defesa e segurança nacional. Não deve servir, nunca, para abrir brechas na segurança e unidade do país. A educação não se limita apenas a ensinar a ler e a escrever ("literacia") e a ensinar efectuar operações aritméticas ("numeracia"). Num país multilingue - como o nosso - e de tradição oral é imperativo haver uma língua de comunicação comum a todos os falantes das cerca de uma vintena de línguas nacionais. Neste momento, o tétum já preenche este critério; e o português - língua de tradição escrita secular, com mais de duzentas milhões de falantes nos cinco continentes - como língua de instrução, língua de acesso à cultura universal, às ciências e tecnologias modernas. A nossa obrigação agora é desenvolver o tétum para caminhar a par do português como língua de ensino, como língua de instrução; mas não substituir o português. Sejamos mais inteligentes que os sabotadores da nossa soberania e segurança nacional. O domínio da língua portuguesa - falada e escrita - pelos timorenses é uma arma muito poderosa para desenvolver a nossa economia, porque tendo uma economia desenvolvida e competitiva é a maior e melhor estratégia para a segurança do nosso país e defesa da nossa soberania. Apostar, agora, na utilização das línguas maternas é mantermo-nos isolados do mudo - pregando-nos à nossa aldeia, reduzindo a nossa economia ao sistema primitivo de troca, sem inovação e criatividade, fruto da nossa ignorância, situação que nos vai conduzir à pobreza e de mão estendida aos "doadores", sempre dispostos a colocar a canga no nosso lombo. As línguas maternas devem - e têm de - ser desenvolvidas, estudando-as, estruturado a sua sintaxe, recolhendo o seu corpus lexical, e normalizando a sua ortografia; numa fase muito posterior, incluir-se-ão no currículo do pré-secundário e secundário para o seu ensino às crianças falantes de cada uma das línguas, em cada uma das respectivas regiões. É mais frutuoso: preservar-se-á cada língua nacional e cumprir-se-á o preceito constitucional. O caminho que o ministro da educação João Câncio Freitas está a trilhar é errado e anti-patriótico.

Horta e as presidenciais de 2012 (2)

Ontem, domingo, 29/01, por volta das três de tarde, qual não foi o meu espanto quando deparei com dois panos a ladear o portão de acesso ao Convento das Irmãs Canossianas a anunciar algo como - cito de memória, porque não tenho registo fotográfico - Ramos Horta, Presidente da Unidade Nacional. Num primeiro momento, achei estranho o anúncio da recandidatura do actual PR pendurado no gradeamento de uma congregação religiosa; refeito o susto, disse cá para os meus botões: "É cenário para completar as vestes eclesiásticas que ultimamente o pré-candidato a PR se tem mostrado na televisão e jornais". Mas, quando olhei em volta, num raio de 180º, reparei em uma dezena de camiões de carga e umas carrinhas de aluguer (localmente designadas "Anguna"), estacionadas num lado e de outro da rua, ainda com os seus respectivos passageiros a bordo, foi então que relacionei os ditos panos com a foto do actual PR e pré-candidato com uma possível cerimónia de lançamento da sua candidatura. Suspeita confirmada com a chegada barulhenta de uma caravana de umas duas dezenas de motos a abrir caminho para a viatura (não sei se oficial ou não) de Horta e a recepção a moda tradicional timorense, no portão do convento, com tímbalos e babadoks e dança guerreira. Não consegui visualizar bem o evento porque estava a uma certa distância - com agravante de sofrer de miopia e sem óculos. Para encurtar a narração, apenas digo que Díli é o barómetro em todas as eleições realizadas até a data em Timor. O que se notou foi a falta de adesão dos eleitores de Díli, nem o entusiasmo dos passageiros de camiões e "angunas" vindos do interior oeste, em contraste profundo com a afluência e entusiasmo num encontro de Ruak com as equipas distritais, no mesmo salão das Irmãs Canossianas, há algumas semanas. Se Horta quiser aferir o seu peso real na política timorense, então, que se recandidate...

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Presidenciais 2012

A minha previsão da tendência da distribuição de votos nas próximas presidenciais é meramente empírica, resultado das minhas observações e vivência no seio da população de Díli e rural – por isso, falível –, e fundada também nas minhas convicções (por isso, discutível).

Fernando Araújo Lasama

Na minha opinião, a candidatura de Lasama visa, apenas, reagrupar os seus militantes e simpatizantes, impedindo-os de se tresmalharem, encerrando-os no redil do Partido. Os seus votantes naturais são maioritariamente das regiões de onde são originários os principais líderes do PD: dois ou três distritos do Oeste e um ou outro sub-distrito de Leste.

Francisco Guterres Lu Olo

Lu Olo não vai conseguir o pleno do seu eleitorado das presidenciais de 2007; vai perder mais de metade dos seus eleitores naturais nos três distritos da zona Leste (Lautém, Viqueque e Baucau), e poderá vir a perder quase todos os seus eleitores naturais dos restantes dez distritos.

Taur Matan Ruak

Todos os dados apontam para uma vitória de Ruak, não apenas nos distritos de Lautém, Viqueque e Baucau – os três distritos considerados baluartes da Fretilin –, mas também nos restantes dez distritos, incluindo Suai (o único distrito de Oeste onde a Fretilin foi vencedora em 2007); porque a candidatura de Ruak é transversal a toda a sociedade e população timorense, independentemente das suas convicções e filiação partidária, e independentemente também da sua origem etno-linguística.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

David Ximenes agredido

O deputado David Ximenes, antigo prisioneiro político de Cipinang, foi agredido traiçoeiramente, na sexta-feira, dia 6/01, de costas, enquanto conversava com o presidente do Parlamento Nacional, Fernando Lasama, no Arbiru, por um deputado - que segundo dizem, defensor de autonomia na Consulta Popular de 1999. Após a agressão a David Ximenes, o agressor, que segundo consta é também deputado, fugiu do local, nem dando tempo para o deputado Ximenes se defender. E o cobarde agressor continua à monte, não comparecendo, nem na segunda nem na terça-feira, no Parlamento Nacional.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Conferência Nacional do CNRT e as Presidenciais 2012

Ainda não foi desta que saiu o "fumo branco", relativamente ao nome do candidato ao cargo de Presidente da República que o CNRT dará o seu apoio formal nas eleições presidenciais de Março 2012. No entanto, já foi estabelecido o perfil do candidato, sendo o critério mais importante - de entre outros - a que o candidato deve preencher é ser independente.

O CNRT só divulgará o nome do candidato a apoiar depois da publicação do decreto presidencial que marca a data das eleições presidenciais.

Conferência Nacional do CNRT - 2º dia

Ao fim da tarde do segundo dia dos trabalhos da Conferência Nacional, será apresentado o perfil do candidato a Presidente da República nas eleições presidenciais de março 2012: candidatura independente, isto é, não apresentada por qualquer partido político.

O factor Ruak está presente nesta reunião magna (entre congressos) do CNRT. Aguardemos.

Conferência Nacional do CNRT - 1º dia

Foram apresentadas, no primeiro dia dos trabalhos da Conferência Nacional, as grandes linhas do Programa do Governo para 2012-2017; e foram apresentados e discutidos também os critérios para a nomeação de candidatos a deputados nas legislativas de 2012.