terça-feira, 1 de junho de 2010

Indícios de corrupção leva PM a cancelar projecto de construção de estrada Com/Mota Ain

Segundo o Jornal Nacional Diário (12/5), citado pelos blogues Movimento Pro Kak Timor Leste e Forum Haksesuk (31/5), o actual governo teria cancelado a adjudicação do projecto de construção de estrada Com/Mota Ain no valor de USD 600 M devido a indícios de corrupção. Teria afirmado o Primeiro-ministro, 12/5, em Remexio, que a levar avante este projecto, o Estado timorense perderia cerca de USD 400 M, visto que o custo real do projecto, de acordo com estudos de análise de projectos, seria de apenas cerca de USD 200 M. Por isso, teria acrescentado Xanana que na sua campanha eleitoral para as legislativas de 2007, o candidato Xanana não tinha dado prioridade para a construção da estrada Com/Mota Ain «não porque não queira construir esta estrada, mas porque havia indicação de que existia corrupção.»
Na mesma intervenção, segundo as fontes citadas, o PM Xanana se teria referido também a um outro projecto adjudicado pelo anterior governo a uma companhia indiana, Reliance, para pesquisar blocos de petróleo no Mar de Timor, em consórcio com duas companhias petrolíferas de Timor, East Timor One e East Timor Two, em que o actual governo teria solicitado às três empresas (a indiana e as duas timorenses) para apresentar o seu "perfil", mas, até hoje, nenhuma o teria apresentado. Relativamente às duas empresas timorenses, o Primeiro-ministro teria dito que «até a presente data não se conhece o perfil da companhia East Timor One, nem o perfil da empresa East Timor Two, se se está registado em Timor ou no estrangeiro, ou se são apenas companhias virtuais».