sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Xanana e CNRT devem apresentar o seu próprio candidato às eleições presidenciais 2012

Xanana e CNRT não devem apoiar o candidato de qualquer outro partido.

Xanana deve seguir uma estratégia pró-activa, apresentando ao eleitorado um candidato presidencial próprio, politicamente credível, com trabalho realizado no terreno já suficientemente conhecido e apreciado pelo eleitorado e que possa, também, garantir transversalmente parte de votos do eleitorado 'natural' de outros partidos.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Horta e as presidenciais de 2012

Horta não se atreveria a recandidatar-se sem o apoio expresso de Xanana Gusmão e do CNRT. Mas, se se teimar em recandidatar-se para um segundo mandato presidencial, em 2012, como candidato da Fretilin, Horta corre sérios riscos de ser humilhado nas urnas com uma estrondosa derrota. Ou talvez não! Posso me enganar... tenho também direito ao engano! O futuro o dirá!

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Eleições presidenciais 2012: CNRT deve apresentar o seu próprio candidato

CNRT e Xanana devem apresentar nas presidenciais de 2012 um candidato forte e ganhador a fim de ganhar balanço e ânimo político para vencer as legislativas de 2012; porque perdendo o candidato do CNRT e Xanana nas presidenciais à favor de uma outra candidatura, perde-se o balanço e ânimo político necessários para uma campanha legislativa ganhadora.

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Presidenciais 2012: Xanana não deve apoiar a recandidatura de Horta

Xanana Gusmão não deve apoiar a recandidatura de Ramos-Horta para um segundo mandato como PR, nem propô-lo como candidato do CNRT às próximas eleições presidenciais. Múltiplas sãos as razões, mas as que vou enumerar são decisivas para o não apoio à sua recandidatura.
1. Horta, assim que for novamente eleito para um segundo mandato presidencial, irá criar dificuldades de vária ordem para impedir uma governação normal, sem grandes sobressaltos, a Xanana, enquanto Primeiro-Ministro.
2. Horta irá esgotar todas as possibilidades que a constituição prevê para mover uma guerra sem quartel a PM Xanana.
3. Horta, não conseguindo derrubar PM Xanana através de suas prerrogativas constitucionais, irá recorrer a meios judiciais através de interpostas pessoas, no terreno, para impedir Xanana de continuar Primeiro-Ministro.
4. Horta vai destruindo Xanana, em lume brando nos seus cinco anos de mandato, na sua honorabilidade enquanto político e cidadão e enquanto rosto da libertação da pátria.
5. Removendo o grande obstáculo Xanana às suas imensas ambições, Horta, depois do seu segundo mandato presidencial, irá concorrer a Primeiro-Ministro. Por qual partido? O futuro ditará!