quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Gerúndio: o preguiçoso

O Governador de um Estado federal brasileiro proibiu, em decreto, o uso do gerúndio porque esta forma verbal favorece a preguiça e a ineficiência, pois a acção (a tarefa) nunca é concluída. A Sua Excelência chegou a esta conclusão porque constatou que os funcionários estaduais empregavam em demasia a forma verbal gerúndio nos relatórios apresentados, e que este facto é verificável na realidade, isto é, coincidia com a falta de produtividade dos brasileiros.