sábado, 26 de março de 2011

O "animal feroz" foi obrigado a amansar-se

O pior primeiro-ministro desde o 25 de Abril, José Sócrates, demitiu-se. Arrogante, prepotente e incompetente: arruinou o país, afrontou injustamente várias classes profissionais (polícias e militares, médicos e enfermeiros, juízes e professores e toda a classe de funcionalismo público). Congelou carreiras e salários, havendo servidores do Estado que se encontram posicionados no mesmo escalão há oito ou mais anos. Submeteu os professores a tratos de polé, começando, numa primeira fase, 2005, com Maria de Lurdes Rodrigues, a denegrir os professores nos meios de comunicação social, como sendo uma classe de mandriões, absentistas, a fim de ganhar simpatia junto dos pais e encarregados da educação e da população em geral para preparar terreno para congelar salário e carreira e impor a famigerada ADD1 e ADD2, sendo esta última versão, finalmente, lançada pela borda fora, ontem, 24/03, pelos deputados, ao aprovar a proposta do Projecto de Lei nº 575/XI do Grupo Parlamentar do PSD e a proposta do Projecto de Lei nº 571/XI do Grupo Parlamentar do PCP, sendo as duas propostas amalgamadas num único texto final em "Texto de substituição - Projecto de Lei nº 571/XI/2ª (PCP), Projecto de Lei nº 575/XI/2ª (PPD/PSD) - Suspensão do actual modelo de Avaliação do Desempenho de Docentes ". Gostava de ver, agora, a cara dos defensores acerrímos e dos situacionistas do modelo de avaliação que, ontem, foi parar ao lixo, esses mesmos que pela sua postura pressionavam os que se recusavam a entregar os chamados "objectivos individuais" e a "ficha de auto-avaliação".

segunda-feira, 21 de março de 2011

O perfil que um político tem que personificar

Um político deve « ser abnegado e entregue à causa pública, humilde, honesto e íntegro, magnânimo e sensato, com formação adequada ao que se compromete atingir ou com capacidade para poder escolher equipas ou individualidades que nisso o possam ajudar e não ter qualquer interesse pessoal a satisfazer para além da defesa dos interesses da comunidade e do país.»

Continuar a ler, no http:www.pauparatodaaobra.blogs.sapo.pt, o artigo de opinião «A mesquinhez e a mediocridade da maioria dos políticos portugueses» de Jorge Cabral.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Elogio de Horta a Xanana na TVTL

«Se em 81 não tivesse surgido Xanana para reorganizar a Resistência não teria havido o 99; se em 99 Xanana não tivesse a calma e sangue-frio necessários para discernir o essencial perante a violência dos ocupantes - antes do Acordo de Nova Iorque, em Maio, e antes do Referendum, a 30 de Agosto, quando muitos defendiam que era melhor adiar à consulta popular, Xanana defendia que, apesar da violência exercida sobre a população, apesar da insegurança, o Referendum teria de realizar-se como fora acordado e programado - Timor não estaria, hoje, livre e independente.»

Afirmação de José Ramos Horta, Presidente da República, 16 Março 2011, na TVTL

sábado, 12 de março de 2011

Entrevista a Marito Reis na TVTL

Gostei de ouvir Marito Reis na entrevista que concedeu a TVTL, 12/03, sobre o recenseamento dos combatentes e veteranos da Luta da Libertação da Pátria e as dificuldades que enfrenta na validação dos dados recolhidos. Esclarece o Secretário de Estado dos Combatentes e Veteranos, Marito Reis, que havia e há vários impostores que se fizeram passar por veteranos ou por herdeiros de mártires da Pátria, ou alguns ainda que em conivência com as "comissões" à nível sub-distrital, distrital e regional aumentaram o seu tempo de participação na guerra de libertação com o intuito de enganar o Estado a fim de receber o subsídio correspondente a um grau acima do merecido. Depois de ouvi-lo cerca de uma hora, fiquei com uma muito boa impressão deste combatente; na sua postura, demonstra um homem sério, coerente e competente nas suas funções de governante, em uma área tão sensível como a questão dos combatentes e veteranos.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Ramos-Horta afirma não se recandidatar

Horta, em declarações à TVTL (Televisão de Timor-Leste), 10/3, afirma não pretender candidatar-se às presidenciais de 2012, mas com um misto de sarcasmo lá diz que já há quem se veja sentado na cadeira - que ainda é sua - para lhe tirar as medidas, se será necessária uma de assento maior, ou simplesmente importar uma de Tailândia, acrescentando o actual PR que todos os móveis do Palácio Presidencial são de produção nacional, todos da carpintaria de Baniuaga. E quando lhe foi perguntado caso houvesse uma vaga de fundo a pedir-lhe para ele se recandidatar para um segundo mandato, Horta responde que no país há muitos e bons filhos de Timor que podem muito bem vir a ser um bom presidente, citando, entre outros, o general Ruak, Fernando Lasama e Micató (Maria Domingas Alves, a actual ministra de solidariedade). Prosseguindo o seu raciocínio, o actual PR esclarece que aceitou candidatar-se nas últimas presidenciais de 2007 devido a crise 2006, e como a actual situação política do país é estável e a população vive o seu dia a dia de uma forma tranquila, não se sente obrigado a recandidatar-se ao cargo que ora lhe pertence. Relativamente às personalidades elegíveis por PR Horta, apenas Lasama está disponível para se candidatar às presidenciais, segundo declarações públicas, em duas ocasiões, nos últimos dias, do próprio presidente do Parlamento Nacional; Micató nunca se mostrou interessada em candidatar-se (eu nunca a ouvi , nem li afirmações suas nesse sentido); do general Matan Ruak, segundo consta, apenas se conhece uma afirmação que lhe é atribuída: "Se eu sair agora do comando das Forças Armadas, não sei se o meu sucessor saberia trancar os portões das casernas!" Para bom entendedor...

quarta-feira, 9 de março de 2011

Caso José Luís Guterres:"enriquecimento ilícito e abuso de poder "

De acordo com o documento a que a TVTL (Televisão de Timor-Leste) teve acesso - divulgado no seu jornal de ontem, 8/3, e que alguns blogues fizeram eco - relativo ao processo de nomeação da esposa de José Luís Guterres, o MNE da altura dos factos, revela que a 'instrução' da sua nomeação para Conselheira da Embaixada da RDTL na ONU foi dada pelo então primeiro-ministro do II Governo Constitucional José Ramos Horta, em documento oficial datado de 25/10/2006. A fazer fé neste documento, o Ministério Público terá de deduzir também uma acusação contra Ramos Horta, pois foi ele quem, enquanto superior hierárquico de José Luís Guterres, iniciou o processo da nomeação e posse como diplomata da esposa do ex-MNE, o agora vice-primeiro-ministro do IV Governo Constitucional. Assim sendo, que acusação o Ministério Público irá proferir contra Ramos Horta? "Abuso de poder"!?

Em bom português vos questiono: E agora, senhores procuradores, como descalçais a bota?

quarta-feira, 2 de março de 2011

José Luís Guterres: enriquecimento ilícito e abuso de poder?!

O timing da acusação deduzida pelo Ministério Público a José Luís Guterres de "enriquecimento ilícito e abuso de poder" poderá obedecer a um calendário político milimetricamente traçado para tirar do caminho das presidenciais de 2012 um potencial candidato do CNRT com sérias probabilidades de bater nas eleições de Março/Abril 2012 o candidato presidencial da área da Fretilin. Entretanto, o julgamento deste caso foi adiado na audiência de hoje, dia 2/02, no Tribunal Distrital de Díli, argumentando o juiz-presidente que o adiamento do julgamento deve-se ao, ainda, não levantamento da imunidade do Vice-PM José Luís Guterres pelo Parlamento Nacional, acrescentando que o tribunal não pretende incorrer na ilegalidade prosseguindo com o julgamento do Vice-Primeiro-ministro, embora o PM Xanana já o tenha suspenso das suas funções governamentais a fim de o seu vice prestar contas à justiça, nomeando em sua substituição para coordenar o Governo a ministra Emília Pires. Recorde-se que o Primeiro-ministro Xanana encontra-se de visita oficial no estrangeiro.